< VOLTAR

Estudo comprova que a atividade física pode ajudar idosos a lidar melhor com as suas dores.

Publicado 04/04/2017
Convivo Bem

O estudo “Physical Activity Behavior Predicts Endogenous Pain Modulation In Older Adults”, publicado na revista PAIN, demonstrou que a atividade física influencia a resposta do corpo aos estímulos dolorosos em adultos mais velhos. Além disso, os pesquisadores descobriram que as pessoas que são fisicamente ativas têm menor percepção da dor e lidam melhor com estímulos dolorosos.

Segundo os pesquisadores, os adultos mais velhos em comparação com os adultos mais jovens têm uma capacidade reduzida para inibir endogenamente a dor, potencialmente colocando-os em maior risco de dor crônica. Pesquisas anteriores sugerem que níveis mais elevados de atividade física estão associados à inibição da dor mais eficaz e a uma menor facilitação da dor em testes sensoriais quantitativos em adultos saudáveis.

Esse estudo avaliou 51 adultos saudáveis, com idade entre 60 e 77 anos, e investigou como a atividade física influenciou na sensação de dor e na inibição da dor. Os participantes usavam um monitor para medir o nível de atividade física durante uma semana.

Os pesquisadores, então, avaliaram a modulação da dor (como a dor é percebida pelo cérebro) com dois testes. O teste de "soma temporal" mediu as respostas da dor aos estímulos dolorosos repetidos, enquanto que a "modulação da dor condicionada" mediu a inibição das respostas à dor aos estímulos dolorosos.

Os resultados indicaram que as pessoas com um estilo de vida mais ativo, e que praticavam frequentemente atividade física leve, tinham significativamente maior inibição da dor. As pessoas que praticam atividade física de moderada a vigorosa tiveram menos facilitação da dor.

Segundo os autores: "Este estudo fornece a primeira evidência objetiva que sugere que o comportamento da atividade física está relacionado ao funcionamento dos sistemas endógenos da modulação da dor em adultos mais velhos".

"Nossos dados sugerem que níveis baixos de comportamento sedentário e maior atividade física leve podem ser críticos na manutenção da função de inibição da dor endógena efetiva em adultos mais velhos", concluíram.

Mais estudos são necessários para entender exatamente como os programas de atividade física podem diminuir ou prevenir a dor em pessoas idosas, recomendaram os pesquisadores. Também será possível determinar como as necessidades de cada pessoa devem ser adaptadas ao tipo apropriado de atividade física que pode melhorar as respostas de dor.

Fonte: Physical activity behavior predicts endogenous pain modulation in older adults. Naugle, K. M.; Ohlman, T; e cols. Pain: March 2017 - volume 158, Issue 3, p. 383-90