< VOLTAR

Dicas para uma gravidez tranquila com Fibromialgia

Publicado 05/05/2017
Convivo Bem

A gravidez, para qualquer mulher, é uma viagem verdadeiramente milagrosa e cheia de emoção e ansiedade incomparáveis. Para uma mulher que sofre com Fibromialgia há desafios adicionais ao longo do caminho. Algumas dicas para a sua própria viagem de nove meses auxiliam a desfrutar desse período com mais tranquilidade.

Medicação correta, exercícios, estimulação e tratamentos naturais ajudam. Se você está planejando engravidar, esteja na melhor forma física possível.

Dica #1 - Eduque-se antes de engravidar. Fale com o seu médico, o obstetra e com um pediatra. A Fibromialgia não deve prejudicar a criança por nascer; mas discutir medicamentos durante a gravidez é importante. Mesmo os tratamentos naturais devem, a princípio, ser suspensos devido à falta de informação sólida sobre os seus efeitos para o feto. Talvez alguma outra medicação seja uma alternativa mais segura, ou seja, é recomendada a diminuição de todos os tratamentos se os níveis dos sintomas estiverem controlados​​.

Dica #2 - Esteja mental e fisicamente no seu melhor momento no início de uma gravidez. É preciso uma reserva em seu corpo para dar suporte ao crescimento de um outro pequeno ser, então comece na frente. Faça exercícios durante a gravidez com a aprovação do seu obstetra. Pense em mudar as coisas. Se passear com o seu cão se tornar difícil por causa da dor nas costas, comece a andar em uma piscina, com a água no nível do peito. A água tira o peso do seu corpo e proporciona um alívio. Certifique-se de conversar com o seu médico antes de iniciar qualquer programa de exercícios.

Dica #3 - Tente educar sua família e amigos sobre a Fibromialgia. Por causa da FA, a fadiga na gravidez é mais frequente do que em mulheres sem a doença. Ajuda muito ter amigos e familiares que entendem por que você está dormindo durante a maior parte do dia, que a encorajem e que a ajudem a continuar a fazer atividades do dia a dia como o preparo das refeições, por exemplo.

Dica #4 - Gerencie a dor e a fadiga como você sempre faz, mas certifique-se de aprovar o que você faz com o seu obstetra. Longos banhos quentes no início da gravidez não são recomendados. Meias de pressão podem diminuir a dor na panturrilha, assim como um cinto de maternidade ajuda a diminuir a dor no quadril e nas costas (até os estágios posteriores da gravidez). (Certifique-se de que a constrição nunca esteja tão apertada que corte a circulação.)

Às vezes, a fadiga e a fraqueza são esmagadoras dificultando a realização da maioria das atividades, especialmente no primeiro e no último trimestre da gravidez.

Dica #5 - Deixe alguma ajuda programada para o pós-parto. Você provavelmente precisará dela. Haverá dois pacientes voltando do hospital: você e o bebê. Isto pode ser demais para o seu parceiro lidar sozinho, mesmo que ele fique mais tempo fora do trabalho.

Dica #6 - A amamentação é um tópico importante. Seja flexível e realista. Às vezes, a dor e a insônia são muito fortes até algumas semanas pós-parto, havendo necessidade de medicação para que você seja capaz de funcionar como uma nova mãe. Algumas mulheres param de amamentar por causa dos efeitos que os remédios teriam sobre o bebê.

Dica #7- Não tenha expectativas. Gravidez e maternidade podem ser comparadas a segurar a mão do seu parceiro e saltar juntos de um precipício para um grande desconhecido. Você realmente não sabe o que está por vir. Algumas mulheres fazem bem. Ser mãe pode revelar-se um desafio para as mulheres com Fibromialgia.

Nenhuma pesquisa demonstra qualquer objeção para que as mulheres com Fibromialgia tenham medo da gravidez. Eduque-se. Você é a parte responsável, não os estudos. As mulheres com Fibromialgia geralmente aprendem, da maneira mais difícil, como priorizar e o que é realmente importante na vida. Se trazer uma criança ao mundo é importante para você, cuide de si mesma, rodeie-se de compreensão, de ajuda, e aproveite a viagem!

Fonte: Tips for Pregnancy with Fibromyalgia – National Fibromyalgia and Chronic Pain Association.  http://www.fmcpaware.org/tips-for-pregnancy-with-fibromyalgia.html. (Acessado em 2 de abril de 2017)