< VOLTAR

Ciclos menstruais difíceis podem piorar os sintomas da Fibromialgia

Publicado 05/05/2017
Notícias

Um estudo publicado relata que os sintomas da Fibromialgia são evidentes e piores nas mulheres que passam a experimentar um ciclo menstrual com intensas queixas e debilitante (um período de semanas conhecido como síndrome pré-menstrual ou SPM), prejudicando sua qualidade de vida (QV).

O estudo “Premenstrual syndrome and fibromyalgia: the frequency of the coexistence and their effects on quality of life” foi publicado na revista Gynecological Endocrinology.

SPM e transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM) são caracterizados por sintomas emocionais e físicos, sendo exemplos mais comuns as alterações de humor e o abaulamento abdominal, respectivamente.

SPM e síndrome da Fibromialgia (SFM) são descritos como pertencentes à família da síndrome de sensibilidade central, termo que inclui várias condições ligadas por um único princípio de nocicepção desregulada de forma patológica (ou seja, a sensação ou percepção da dor) referida como "sensibilização central”.

Os pesquisadores tinham como objetivo investigar a associação entre SPM e sintomas da Fibromialgia, e identificar sintomas comuns e preocupações com a qualidade de vida. Para este fim, realizaram um estudo prospectivo com 55 pacientes com SPM e um grupo controle de 52 mulheres saudáveis ​​e com idades semelhantes.

O diagnóstico de SFM baseou-se nos novos critérios diagnósticos de Fibromialgia do American College of Rheumatology (ACR), que se baseiam em dois parâmetros: o índice de dor generalizada (IDG) e a escala de gravidade dos sintomas (EGS).

Os pesquisadores detectaram uma frequência de 20% de SFM no grupo síndrome pré-menstrual, enquanto nenhum dos controles saudáveis ​​mostrou evidência de síndrome de Fibromialgia. Consequentemente, o número de participantes do grupo síndrome pré-menstrual com sinais de sintomas relacionados a SFM foi maior do que o do grupo controle, assim como o número de pontos sensíveis.

Os autores avaliaram a qualidade de vida através de um questionário de 36 itens que mede a QV em oito domínios físicos e emocionais. SFM e síndrome pré-menstrual foram avaliados por meio do questionário de impacto da Fibromialgia (FIQ) e do formulário de avaliação pré-menstrual, respectivamente.

Em geral, os resultados sugerem que a SFM é comum entre as pacientes com síndrome pré-menstrual. A frequência de SFM é particularmente perceptível em pacientes com SPM com queixas pré-menstruais intensas. Sempre que a SFM e a SPM estão presentes, as pacientes apresentam maior incapacidade funcional.

Fonte: Premenstrual syndrome and fibromyalgia: the frequency of the coexistence and their effects on quality of life. Soyupek F.; Aydogan C. et cols. Gynecol Endocrinol. 2017 mar 5:1-6. doi: 10.1080/09513590.2017.1296126. [Epub ahead of print]. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28277106 (acesso em 02/04/2017)