Os quadros depressivos são comuns entre as pessoas com fibromialgia, por conta do isolamento que a doença traz à rotina. A dor constante também é vista com pouco caso por quem não compreende a complexidade da síndrome e é comum que as pessoas enfrentem preconceito.

Apsen

13 artigos

Além de toda a dor com a qual precisam conviver, as pessoas com fibromialgia geralmente enfrentam outro problema no seu dia a dia: o preconceito. Isso acontece porque a patologia é de difícil diagnóstico e sua causa ainda é desconhecida pela comunidade médica. Com a reclusão, é comum que as pessoas com fibromialgia desenvolvam quadros depressivos.

Um problema sério para quem ainda não está diagnosticado é a descrença dos familiares. As pessoas desacreditam porque há uma rotina constante de exames, uma vez que a patologia não tem diagnóstico clínico ou laboratorial, e isso faz com que o diagnóstico seja complicado. Muitas vezes é preciso consultar diversos médicos e a conclusão pode levar anos. Além disso, até pouco tempo atrás as dores da fibromialgia eram consideradas dores psicológicas. Assim, é comum que as pessoas sejam acusadas de “frescura”.

Acontece que a relação entre a depressão e a fibromialgia tem um caráter cíclico: a síndrome pode ser desencadeada por quadros depressivos, traumas, ansiedade ou estresse, e uma pessoa com fibromialgia tem grandes chances de também desenvolver a depressão. De acordo com a Associação Americana de Ansiedade e Depressão, pelo menos 20% dos pacientes que sofrem de dores crônicas desenvolvem também doenças psicossomáticas. Problemas para dormir, dores de cabeça, sensibilidade para temperaturas, problemas de memória e dormência nos membros são os sintomas mais comuns nestes casos.

Com esta relação tão intrincada entre a depressão e a fibromialgia, os médicos adotam tratamentos conjuntos, para que uma doença não piore a outra. Os tratamentos vão desde a aplicação constante dos exercícios físicos, até a psicoterapia, passando, é claro, pelo uso de medicamentos específicos para a dor e para a depressão.

Por isso, é importante conscientizar a população sobre a existência, o diagnóstico e o tratamento da fibromialgia. Assim, mais pessoas poderão se tratar e ter uma qualidade de vida melhor.

Consulte sempre seu médico.

Referência:

https://www.gazetaonline.com.br/bem_estar_e_saude/2019/05/fibromialgia-alem-da-dor-o-preconceito-e-o-isolamento-1014181398.html

Comentário

Você deve estar logado para conseguir realizar comentários.