< VOLTAR

Pesquisadores sugerem que melhores diretrizes para o atendimento a pacientes com Fibromialgia

Publicado 07/02/2018
Notícias

Pesquisadores canadenses sugerem que melhores diretrizes para o atendimento a pacientes com Fibromialgia são necessárias

Através de pesquisa, reumatologistas canadenses concluíram que as terapias atualmente disponíveis para tratar a Fibromialgia não conseguem, na maioria das vezes, gerenciar os sintomas da doença e, por isso, novas diretrizes para diagnóstico e tratamento são necessárias para melhorar o atendimento ao paciente.

Os achados foram relatados em um estudo intitulado Attitudes Toward and Management of Fibromyalgia: A National Survey of Canadian Rheumatologists and Critical Appraisal of Guidelines publicado no Journal of Clinical Rheumatology.

O gerenciamento clínico da Fibromialgia é desafiador, com muitos pacientes não relatando melhoras significativas, mesmo quando monitorados em centros especializados de reumatologia. Algumas descobertas recentes mostraram que a Fibromialgia pode ser causada por mecanismos complexos e não especificamente por processos musculoesqueléticos.

"O objetivo deste estudo foi explorar estratégias de gestão e atitudes dos reumatologistas canadenses em relação à Fibromialgia e em concordância com recomendações de diretrizes".

A equipe realizou uma pesquisa transversal de âmbito nacional que foi completada por 140 reumatologistas da Canadian Rheumatology Association. Quase todos os médicos (98%) relataram ter atendido pacientes com Fibromialgia primária ou secundária.

A pesquisa descobriu que 80% dos reumatologistas que responderam à pesquisa acreditam que a Fibromialgia é um diagnóstico clínico útil. No entanto, nem todos concordaram com os fundamentos e consequências da doença, já que apenas 54% disseram que a FA é uma condição objetivamente definida. A maioria dos entrevistados - 79% - disse que um diagnóstico é útil para orientar o gerenciamento clínico.


Os reumatologistas também estão divididos com relação à Fibromialgia ser uma condição psicossocial, com 31% concordando e 43% discordando.

Contrariamente às diretrizes, 61% disseram que a avaliação dos pontos dolorosos é uma ferramenta útil para o diagnóstico, e apenas 42% dizem que existem terapias efetivas.

A pesquisa também mostrou que a maioria dos reumatologistas canadenses tratam seus pacientes com educação, terapia de exercícios, antidepressivos e analgésicos não narcóticos - estratégias que estão de acordo com as diretrizes. No entanto, mais da metade acredita que essas estratégias não são efetivas.

"Os reumatologistas canadenses, em grande parte, não fornecem cuidados primários para a Fibromialgia", escreveram os pesquisadores. "A maioria adere às recomendações das Diretrizes Canadenses de 2012 para o manejo da Fibromialgia, mas poucos endossam essas intervenções como efetivas, e existem importantes limitações associadas a essas diretrizes".

A equipe acredita que são necessários estudos adicionais para abordar a desconexão entre a prática clínica e a eficácia do tratamento percebido, bem como uma atualização das Diretrizes Canadenses de 2012 para o diagnóstico e tratamento da Fibromialgia.

Fonte: AGARWAL, A. et al. Attitudes Toward and Management of Fibromyalgia: A National Survey of Canadian Rheumatologists and Critical Appraisal of Guidelines. J Clin Rheumatol, Dec 2017. ISSN 1536-7355. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29280818