< VOLTAR

Fibromialgia tem cura?

Publicado 02/10/2018
Notícias

Apesar de acometer, aproximadamente, 2 a 3% da população brasileira¹, pouco se fala sobre a fibromialgia. Conhecida, principalmente, pelas dores insistentes em todo o corpo e a fadiga, ainda não existe cura para o problema, mas existem alternativas que podem amenizar os sintomas e te ajudar a conviver com eles:


Atividade física
Como a pessoa que sofre com a fibromialgia sente dores constantes, o ideal é fazer exercícios menos intensos, como natação, hidroginástica, caminhada, alongamento, ioga, pilates, uma vez que a atividade física faz com que o nosso corpo produza hormônios (endorfina e serotonina) que podem ajudar o cérebro a resistir melhor à dor. Conversar com um fisioterapeuta para que ele avalie seu condicionamento físico pode ser interessante para ele indicar com mais propriedade quais atividades você pode praticar.


Alimentação equilibrada
Os alimentos certos podem colaborar para o bom funcionamento do seu corpo e fornecer energia boa². Para isso, consumir verduras, legumes e frutas, beber bastante água e reduzir o consumo de açúcar é fundamental.


Importante: Se você suspeitar que algum alimento piora os seus sintomas, procure anotar tudo o que come e o que sente após a ingestão. A partir daí, você terá uma base para compartilhar com o seu reumatologista e investigarem juntos a origem do problema.


Diminuir o estresse
O estresse (físico, emocional ou infeccioso) pode provocar dor, não só no caso da fibromialgia, mas em outras doenças – como gastrite e enxaqueca, por isso conhecer algumas táticas para driblá-lo é uma alternativa válida. Para isso, vale meditação, terapia ocupacional, banho quente, sauna, ler, praticar algum hobby, ajustar sua carga horária de trabalho... Descubra o que te faz bem!


Dormir bem
Parece simples, mas criar hábitos de sono é difícil e essencial para uma noite bem dormida: estipular o horário para isso é o primeiro passo. Antes de deitar, vá diminuindo o ritmo, faça coisas que te acalmem (tomar um banho quente, ler, beber uma xícara de chá ou leite quente, ficar em um ambiente com a luz mais baixa, ouvir músicas mais calmas). Alguns estudos dizem que evitar telas luminosas (celular, tablet, computador, televisão) também ajuda porque a claridade nos desperta. Aos poucos, o seu cérebro entenderá que você está se preparando para “desligar” e também diminuirá o ritmo.


Todas essas alternativas podem proporcionar algum grau de alívio, mas nenhuma delas cura a fibromialgia, por isso o acompanhamento com reumatologista deve ser feito no paralelo. Ele irá avaliar o que é indicado ou não para você – até porque cada organismo reage de uma forma a diferentes estímulos. Não desanime, você pode conviver bem com a fibromialgia.


Este texto não substitui a consulta médica. Somente o especialista pode te orientar sobre qualquer tipo de tratamento e medicação.


Referências
¹ Sociedade Brasileira de Reumatologia – Cartilha sobre fibromialgia
² https://drjulianopimentel.com.br/alimentacao/aliviar-os-sintomas-da-fibromialgia-alimentacao/ - acesso em 15/08/2018