< VOLTAR

Fibromialgia e hipersensibilidade intestinal

Publicado 05/10/2018
Notícias

É comum portadores de fibromialgia se queixarem de desconforto intestinal. Alguns apostam na síndrome do intestino irritável, outros já desconfiam de intolerância à lactose ou ao glúten. A verdade é que quem tem fibromialgia pode, sim, apresentar hipersensibilidade intestinal¹ , mas é preciso buscar ajuda profissional antes de se autodiagnosticar.

Geralmente, a hipersensibilidade intestinal é a Síndrome do Intestino Irritável, um problema crônico que afeta o intestino grosso (cólon) e pode provocar contrações, dor abdominal, gases, flatulência e diarreia.

Ainda não há estudos conclusivos, mas alguns profissionais especulam que a fibromialgia e a síndrome podem estar relacionadas à microbiota intestinal, uma complexa comunidade de bactérias (boas e ruins) presente em nosso intestino que pode influenciar no funcionamento dele a partir de gatilhos como estresse e alimentação e desencadear reação dolorosa por hipersensibilidade a esse estímulo.

Tanto a fibromialgia quanto a síndrome do intestino irritável não podem ser diagnosticadas em exames, por isso consultar especialistas com experiência na área pode ajudar a diagnosticar o problema o quanto antes. Neste caso, o reumatologista e o nutricionista ou gastroenterologista. Esse grupo de profissionais ligados à alimentação poderá desenhar um plano alimentar adequado ao seu organismo e captar o que pode ser benéfico ou não para você, além de solicitar exames que averiguem intolerâncias alimentares.

Mas, independentemente do caso, é o profissional capacitado quem deve estar à frente da sua alimentação. Por exemplo, algumas pessoas decidem cortar o consumo de lactose por conta própria, mas a falta deste nutriente pode provocar deficiência de cálcio no organismo, principalmente se for uma mulher em fase de climatério e, assim, desencadear outros problemas. 

Lembre-se sempre: antes de fazer qualquer mudança relacionada à fibromialgia, converse com o seu médico. Controlar os sintomas dela é possível, você só precisa da ajuda certa para te guiar.

Este texto não substitui a consulta médica. Somente o especialista pode te orientar sobre qualquer tipo de tratamento e medicação.


Referências
¹ https://www.fibromialgia.com.br/novosite/index.php?modulo=medicos_outros_editais&id_mat=105 – Acessado em 13/09/2018